3º ano: planejamento anual

I.      IDENTIFICAÇÃO

INSTITUIÇÃO: Centro Educacional Barreiros – CEB
PROFESSOR Sandro Brincher
DISCIPLINA: Literatura
SÉRIE 3º ano do Ensino Médio

II.      JUSTIFICATIVA

É possível ensinar Literatura? É possível aprender Literatura? Num mundo cada vez mais técnico, informatizado, automatizado e objetivo, para que se ensina uma disciplina que não pretende construir casas, robôs e aviões, nem mesmo curar doenças? A disciplina de Literatura, ao menos da forma como pretendemos ministrá-la hoje nesta instituição, justifica-se duplamente: primeiro, pela busca por tais respostas, em toda a sua complexidade e com toda a discussão que acarretam. Segundo – e aqui já ensaiamos uma resposta mais objetiva –, pelo admissão de que, sim, de fato não construímos casas, robôs ou aviões (exceto em termos ficcionais); tampouco curamos gripes, fraturas ou carências nutricionais. Por outro lado, com a Literatura se pode construir caráter, conhecimento e cultura. Através dela, pode-se entender de que forma as grandes transformações da humanidade se refletiram em sua educação estética e de que forma seu impulso artístico – e, portanto, criativo – gerou outras transformações. Através dela, pode-se também amenizar a carência de algo que cada vez mais se torna raro num mundo tão conturbado: nosso próprio senso de humanidade. A Literatura é, portanto, capaz de mudar as pessoas, tornando-as agentes de transformação do mundo e da sociedade. É nessa capacidade fundamental que seu ensino se alicerça e se justifica.

III.      OBJETIVOS

Objetivos gerais

  • Desenvolver habilidades de análise, interpretação e crítica de textos literários e não-literários.
  • Estimular o gosto pela leitura e pelas diversas manifestações artísticas que acompanham o fazer literário ao longo da história.
  • Reconhecer e comparar formas literárias distintas.
  • Associar movimentos estéticos e literários aos seus contextos históricos e sociais.
  • Identificar os discursos subjacentes às obras literárias.
  • Aprimorar as habilidades de redação segundo o padrão culto da língua.
  • Reconhecer diferentes modalidades de uso da língua, possibilitando ao aluno o trânsito entre elas.
  • Estimular o exercício da escrita criativa como forma de expressão individual.

Objetivos específicos

  • Identificar modelos e padrões estéticos e estabelecer relações entre eles.
  • Compreender a origem e a evolução da Língua Portuguesa através da Literatura.
  • Entender os recursos presentes nas produções medievais, relacionando-os às outras artes e a questões da atualidade.
  • Produzir textos ficcionais como forma de aprimoramento das habilidades de redação.

IV.      CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1.      Texto literário: (in)definições, interpretações e re-escrituras.

1.1.   Gêneros literários: evolução, estabelecimento e hibridismo.

1.1.1.      Texto lírico e texto épico;

1.1.2.      Narrativa (conto, novela, romance);

1.1.3.      Texto dramático (teatro);

1.1.4.      Gêneros híbridos e literatura digital.

1.2.   Análise do texto literário: modos e métodos de leitura do texto literário.

1.1.1.      Intertextualidade, narrador, personagens, tempo-espaço, estratégias narrativas, figuras de linguagem.

1.1.2.      Escolas literárias: do trovadorismo às textualidades contemporâneas.

2.      Trovadorismo, Humanismo e Classicismo

2.1.   Trovadorismo: poesia e música de mãos dadas.

2.1.1.      Cantigas líricas (cantigas de amor; cantigas de amigo);

2.1.2.      Cantigas satíricas (cantigas de escárnio e maldizer).

2.2.   Humanismo: a produção literária na fronteira entre a Idade Média e a Era Moderna.

2.2.1.      A crônica historiográfica de Fernão Lopes

2.2.2.      A poesia palaciana: nobres e fidalgos de mãos na pena.

2.2.3.      Dramaturgia e crítica social: a obra de Gil Vicente.

2.3.   Classicismo: o homem como centro, a razão como cetro.

2.3.1.      Elementos épicos da obra de Camões;

2.3.2.      Elementos líricos da obra de Camões.

3.      Quinhentismo: as primeiras manifestações literárias do (ou no) Brasil.

3.1.   Literatura informativa: os grandes cronistas;

3.2.   Literatura jesuítica: primórdios de uma literatura nacional.

4.      Barroco: rebuscamento, religiosidade e conflitos de valores.

4.1.   Barroco à brasileira;

4.2.   Cultismo: Luis de Góngora. Gregório de Matos.

4.3.    Conceptismo: Francisco de Quevedo. Padre Antônio Vieira.

5.      Arcadismo / Neoclassicismo: fugir da cidade, aproveitar o dia.

5.1.   Arcadismo português: Bocage;

5.2.   Arcadismo brasileiro: Cláudio Manoel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga.

6. Leitura dirigida das obras literárias indicadas para os vestibulares 2012 da UDESC e UFSC.

 

V.      METODOLOGIA

  • Aulas expositivas e dialogadas.
  • Leitura dirigida de textos literários.
  • Estudo e interpretação de textos literários.
  • Exercícios de reconhecimento em textos literários e trechos de músicas.
  • Produção de textos ficcionais.
  • Representação em grupo de cenas de textos dramáticos.
  • Aulas expositivas e exercícios de fixação.
  • Exercícios do livro didático.

VI.      MÉTODOS, CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

  • Prova: uma prova com o conteúdo das unidades estudadas durante o trimestre; vale 50% da nota total;
  • Redação: produção de 2 (dois) textos ficcionais a cada trimestre; cada texto vale 20% da nota total, totalizando 40%.
  • Participação: atividades extra-classe e atividades feitas em sala de aula, em grupos; o conjunto desta vale 10% da nota total.
Anúncios

1º ano: planejamento anual

I.      IDENTIFICAÇÃO

INSTITUIÇÃO: Centro Educacional Barreiros – CEB
PROFESSOR Sandro Brincher
DISCIPLINA: Literatura
SÉRIE 1º ano do Ensino Médio

II.      JUSTIFICATIVA

É possível ensinar Literatura? É possível aprender Literatura? Num mundo cada vez mais técnico, informatizado, automatizado e objetivo, para que se ensina uma disciplina que não pretende construir casas, robôs e aviões, nem mesmo curar doenças? A disciplina de Literatura, ao menos da forma como pretendemos ministrá-la hoje nesta instituição, justifica-se duplamente: primeiro, pela busca por tais respostas, em toda a sua complexidade e com toda a discussão que acarretam. Segundo – e aqui já ensaiamos uma resposta mais objetiva –, pelo admissão de que, sim, de fato não construímos casas, robôs ou aviões (exceto em termos ficcionais); tampouco curamos gripes, fraturas ou carências nutricionais. Por outro lado, com a Literatura se pode construir caráter, conhecimento e cultura. Através dela, pode-se entender de que forma as grandes transformações da humanidade se refletiram em sua educação estética e de que forma seu impulso artístico – e, portanto, criativo – gerou outras transformações. Através dela, pode-se também amenizar a carência de algo que cada vez mais se torna raro num mundo tão conturbado: nosso próprio senso de humanidade. A Literatura é, portanto, capaz de mudar as pessoas, tornando-as agentes de transformação do mundo e da sociedade. É nessa capacidade fundamental que seu ensino se alicerça e se justifica.

III.      OBJETIVOS

Objetivos gerais

  • Desenvolver habilidades de análise, interpretação e crítica de textos literários e não-literários.
  • Estimular o gosto pela leitura e pelas diversas manifestações artísticas que acompanham o fazer literário ao longo da história.
  • Reconhecer e comparar formas literárias distintas.
  • Associar movimentos estéticos e literários aos seus contextos históricos e sociais.
  • Identificar os discursos subjacentes às obras literárias.
  • Aprimorar as habilidades de redação segundo o padrão culto da língua.
  • Reconhecer diferentes modalidades de uso da língua, possibilitando ao aluno o trânsito entre elas.
  • Estimular o exercício da escrita criativa como forma de expressão individual.

Objetivos específicos

  • Identificar modelos e padrões estéticos e estabelecer relações entre eles.
  • Compreender a origem e a evolução da Língua Portuguesa através da Literatura.
  • Entender os recursos presentes nas produções medievais, relacionando-os às outras artes e a questões da atualidade.
  • Produzir textos ficcionais como forma de aprimoramento das habilidades de redação.

IV.      CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

  1. Introdução à Literatura.
    1. Leitura, uma paixão;
    2. Ficção e intertextualidade;
    3. Primórdios da representação literária: mitologia e arte greco-romana;
  2. Escolas literárias: definições, características e problemas.
  3. Quinhentismo brasileiro.
  4. Barroco
    1. Padre Antônio Vieira;
    2. Gregório de Matos.
  5. Arcadismo.
  6. Poesia romântica.
    1. Geração Indianista ou Nacionalista;
    2. Geração Mal do Século ou Ultrarromântica;
    3. Geração Condoreira.
  7. Prosa Romântica.
    1. Romances urbanos;
    2. Prosa indianista;
    3. Prosa regionalista;
  8. Teatro romântico.

V.      METODOLOGIA

  • Aulas expositivas e dialogadas.
  • Leitura dirigida de textos literários.
  • Estudo e interpretação de textos literários.
  • Exercícios de reconhecimento em textos literários e trechos de músicas.
  • Produção de textos ficcionais.
  • Representação em grupo de cenas de textos dramáticos.
  • Aulas expositivas e exercícios de fixação.
  • Exercícios do livro didático.

VI.      MÉTODOS, CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

  • Prova: uma prova com o conteúdo das unidades estudadas durante o trimestre; vale 50% da nota total;
  • Redação: produção de 2 (dois) textos ficcionais a cada trimestre; cada texto vale 20% da nota total, totalizando 40%.
  • Participação: atividades extra-classe e atividades feitas em sala de aula, em grupos; o conjunto desta vale 10% da nota total.

2º ano: planejamento anual

I.      IDENTIFICAÇÃO

INSTITUIÇÃO: Centro Educacional Barreiros – CEB
PROFESSOR Sandro Brincher
DISCIPLINA: Literatura
SÉRIE 2º ano do Ensino Médio

II.      JUSTIFICATIVA

É possível ensinar Literatura? É possível aprender Literatura? Num mundo cada vez mais técnico, informatizado, automatizado e objetivo, para que se ensina uma disciplina que não pretende construir casas, robôs e aviões, nem mesmo curar doenças? A disciplina de Literatura, ao menos da forma como pretendemos ministrá-la hoje nesta instituição, justifica-se duplamente: primeiro, pela busca por tais respostas, em toda a sua complexidade e com toda a discussão que acarretam. Segundo – e aqui já ensaiamos uma resposta mais objetiva –, pelo admissão de que, sim, de fato não construímos casas, robôs ou aviões (exceto em termos ficcionais); tampouco curamos gripes, fraturas ou carências nutricionais. Por outro lado, com a Literatura se pode construir caráter, conhecimento e cultura. Através dela, pode-se entender de que forma as grandes transformações da humanidade se refletiram em sua educação estética e de que forma seu impulso artístico – e, portanto, criativo – gerou outras transformações. Através dela, pode-se também amenizar a carência de algo que cada vez mais se torna raro num mundo tão conturbado: nosso próprio senso de humanidade. A Literatura é, portanto, capaz de mudar as pessoas, tornando-as agentes de transformação do mundo e da sociedade. É nessa capacidade fundamental que seu ensino se alicerça e se justifica.

III.      OBJETIVOS

Objetivos gerais

  • Desenvolver habilidades de análise, interpretação e crítica de textos literários e não-literários.
  • Estimular o gosto pela leitura e pelas diversas manifestações artísticas que acompanham o fazer literário ao longo da história.
  • Reconhecer e comparar formas literárias distintas.
  • Associar movimentos estéticos e literários aos seus contextos históricos e sociais.
  • Identificar os discursos subjacentes às obras literárias.
  • Aprimorar as habilidades de redação segundo o padrão culto da língua.
  • Reconhecer diferentes modalidades de uso da língua, possibilitando ao aluno o trânsito entre elas.
  • Estimular o exercício da escrita criativa como forma de expressão individual.

Objetivos específicos

  • Identificar modelos e padrões estéticos e estabelecer relações entre eles.
  • Compreender a origem e a evolução da Língua Portuguesa através da Literatura.
  • Entender os recursos presentes nas produções medievais, relacionando-os às outras artes e a questões da atualidade.
  • Produzir textos ficcionais como forma de aprimoramento das habilidades de redação.

IV.      CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

  1. Realismo, Naturalismo e Parnasianismo;
  2. Simbolismo;
  3. Pré-Modernismo;
  4. Modernismo I: Vanguardas europeias e Semana de Arte Moderna;
  5. Modernismo II: Poesia;
  6. Modernismo III: Regionalismo de 1930;
  7. Modernismo IV: Terceira fase, poesia e prosa;
  8. Modernismo V: Tendências contemporâneas e teatro brasileiro;
  9. Literatura Portuguesa I: Trovadorismo, Humanismo e Classicismo;
  10. Literatura Portuguesa I: Barroco, Arcadismo e Romantismo;
  11. Literatura Portuguesa II: Realismo e Simbolismo;
  12. Literatura Portuguesa II: Modernismo Português; Literatura Contemporânea.

V.      METODOLOGIA

  • Aulas expositivas e dialogadas.
  • Leitura dirigida de textos literários.
  • Estudo e interpretação de textos literários.
  • Exercícios de reconhecimento em textos literários e trechos de músicas.
  • Produção de textos ficcionais.
  • Representação em grupo de cenas de textos dramáticos.
  • Aulas expositivas e exercícios de fixação.
  • Exercícios do livro didático.

VI.      MÉTODOS, CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

  • Prova: uma prova com o conteúdo das unidades estudadas durante o trimestre; vale 50% da nota total;
  • Redação: produção de 2 (dois) textos ficcionais a cada trimestre; cada texto vale 20% da nota total, totalizando 40%.
  • Participação: atividades extra-classe e atividades feitas em sala de aula, em grupos; o conjunto desta vale 10% da nota total.